Projeto estilos musicais: sobre o Rock cristão e a história que ninguém conta




Link AQUI

Depois de muito tempo sem trazer playlist, eis que ela voltou! Mais uma listinha de músicas que faz parte do projeto estilos musicais! E o tema desse mês é: Rock. Quem aí está afim de ouvir música boa este final de semana? É só continuar lendo o post:


Na internet, o que não falta é artigo sobre a história do rock, que teve seus pontos altos e baixos, foi absurdamente mal compreendido por muitos, inclusive pelas igrejas. É claro que o rock propriamente dito tem uma raiz polêmica, a começar pelo nome. É por isso que este post vai se ater a mostrar um pouquinho como o rock cristão se consolidou, como uma forma de contracultura do rock da época, ligado a movimentos de sexo, drogas e pura rebeldia. 

O rock cristão teve seu surgimento lá na década de 60, com um movimento americano chamado Jesus movement, movimento evangelístico que surgiu para contrapor a cultura americana da época, marcada pelo movimento hippie, além de músicas com letras cheias de liberdade sem precedentes, rebeldia, sexo, drogas. O Jesus movement reuniu cantores e bandas cristãs importantes para época como Petra, Stryper, Larry Norman (conhecido por muitos como o pai do rock cristão) e Keith Green, além de pregadores importantes como Billy Graham. O movimento cresceu, dando espaço para o surgimento do que chamamos hoje de música cristã contemporânea, além do crescimento de eventos grandiosos voltados para o público jovem. 

Os chamados "Jesus freaks" (loucos por Jesus) tinham como slogan do movimento a frase de Martinho Lutero "Por que o diabo deve ficar com os melhores tons?", para afirmar que todos os ritmos musicais foram criados por Deus e para Deus.  O Jesus movement causou tanta repercussão nos Estados Unidos que foi capa das principais revistas, com a Time, Life e outras.


Capas de revistas da época sobre o Jesus movement. (1) AQUI, (2) AQUI

No Brasil, o rock cristão começou a aparecer com a banda Exodus, na década de 70, banda que ficou conhecida pela canção Galhos secos (sim, aquela do para nóóóssa alegria). Já na década de 80 o estilo voltou a tomar conta com as bandas Rebanhão, Catedral e Katsbarnea. Já na década de 90, o rock cristão se consolidou e cresceu, após a  chegada de bandas como Oficina G3, Fruto Sagrado e Resgate. Hoje, o movimento independente tem feito grandes nomes também, como Rodolfo Abrantes, Tanlan e Aerollis. 

**Uma curiosidade: Em 1995, a ex-banda cristã DC Talk criou uma canção baseada neste movimento. A música, chamada Jesus Freak, fala do apelido pejorativo que os cristãos receberam da mídia por este movimento. Se você nunca ouviu a canção, ouça logo abaixo e veja a tradução AQUI:



Espero que vocês tenham curtido o post de hoje! Falar de rock cristão pra muitos no Brasil ainda é um tabu, mas pesquisando sobre a história do movimento e como Cristo pode usar diferentes estilos musicais em diferentes contextos nos faz perceber a multiforme graça de Cristo Jesus. Depois de tanto falar, que tal algumas músicas para agitar nossa playlist de Sexta? 







5 comentários:

  1. Amei o post, Débora. Parabéns!!! ♥
    Obs: no lugar do vídeo que deveria ser da banda DC Talk está uma canção do Skillet. E alguns vídeos da playlist se repetiram. :O Beijos ;B

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ué já está tudo certo... Ignore o comentário.

      Excluir
    2. A parte que gostei do post é verdade. (História ainda faz meu coração pulsar, acho q-)

      Excluir
    3. Olha só quem veio comentar ♥
      Que bom que gostou, Janinha!
      Volte sempre :)

      Excluir


Cristã, graduada em Letras, apaixonada por livros, viagens e muita música! Uma nota musical tentando fazer a diferença na imensa partitura da vida.
https://www.youtube.com/channel/UClS0ZtlU37t-VvVciQH0GQQ

já curtiu?

Postagens populares

youtube

Snapchat

 photo snapssss1_zpscavat0v8.png